Logon
Blog

Tricomoníase: sintomas, causas e tratamentos

A tricomoníase é uma IST que afeta homens e mulheres e é causada por um protozoário, o Trichomonas vaginalis. 

​​Agendar Consulta​


A tricomoníase é uma IST, ou​ seja, uma infecção sexualmente transmissível que afeta homens e mulheres. Em homens, os sintomas podem se apresentar mais leves; por outro lado, a doença costuma causar bastante incômodo entre as mulheres, com a presença de corrimento e outros sintomas. Continue a leitura pra entender mais sobre essa infecção. 



O que é tricomoníase? 

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível que acomete o trato genital inferior – geralmente uretra ou vagina, mas pode aparecer em outras partes dessa região causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis.



Quais são os sintomas de tricomoníase? 

Nos homens, não é incomum encontrar casos assintomáticos ou com sintomas leves, que passam despercebidos.  

Dentre os sintomas mais comuns de tricomoníase, estão:   

Corrimento esbranquiçado (no caso dos homens, eliminado pela ponta do pênis) com odor ruim; 

Corrimento esverdeado ou amarelado e com mau cheiro; 

Coceira (prurido); 

Inflamação do colo do útero (cervicite). 

Em alguns casos, pode haver também dificuldade e dor para urinar e incômodo durante a relação sexual. 



Como prevenir a tricomoníase?  

A tricomoníase é considerada uma IST (infecção sexualmente transmissível). Por isso, a melhor forma de prevenir a doença é utilizando preservativos (masculino ou feminino) durante a relação sexual.  



Tricomoníase e HPV têm alguma relação? 

Não. A tricomoníase, como falamos, é uma infecção causada pelo protozoário Trichomona vaginalis. Já o HPV é uma infecção provocada por um vírus.  

No entanto, a presença da tricomoníase pode facilitar o surgimento de novas infecções, já que torna a mucosa genital mais vulnerável.  

Por isso, uma mulher que esteja com a doença tem mais risco de se contaminar com o vírus do HPV, por exemplo, caso tenha relações sexuais sem o uso de preservativo com uma pessoa contaminada. 



Como diagnosticar tricomoníase? 

O diagnóstico da tricomoníase é clínico, realizado pelo exame ginecológico em consultório. O médico pode também requisitar a coleta de secreções para confirmar a presença de uma infecção. Nesse sentido, o exame Papanicolau pode ser realizado na mesma ocasião mesmo que não seja específico para este diagnóstico, ele é importante para a prevenção do câncer do colo de útero. 



Tricomoníase: tratamento 

O tratamento para a tricomoníase consiste no uso de antibióticos, orais ou tópicos (na forma de pomada ou creme vaginal) que vão eliminar a presença do protozoário do organismo.  

Durante o tratamento, é importante manter abstinência sexual para auxiliar a recuperação da mucosa. Além disso, uma vez que um dos parceiros seja diagnosticado, o casal deve se tratar em conjunto, mesmo que o outro não tenha sintomas evidentes.


Veja mais