Logon
Blog

Sapinho: sintomas, causa e tratamento

Sapinho é uma infecção provocada por um fungo e que acomete principalmente bebês até os seis meses de vida.

​​Agendar Consulta​
​​​

O sapinho é uma condição que pode afetar bebês de forma bastante corriqueira. Apesar de ser uma preocupação para muitos pais, entender seus sintomas, causas e tratamento pode tranquilizá-los e ajudá-los a cuidar adequadamente dos pequenos.  

​Continue a leitura e saiba quais são os sinais a observar, porque ele ocorre e como é possível tratá-lo de forma eficaz para garantir o bem-estar do bebê. 


Sapinho na boca: o que é? 

Sapinho é a doença provocada por um fungo chamado Candida albicans.  

Fungos são comuns e geralmente inofensivos, ​​mas quando o sistema imunológico é afetado podem causar infecções. Nesse sentido, bebês e crianças têm maior risco de infecção devido à imaturidade do sistema imunológico.  

A cândida é um fungo naturalmente encontrado na boca, trato digestivo e aréola mamária, podendo se desenvolver quando há contato com mãos contaminadas, objetos ou devido a condições como diarreia. 

Quais os sintomas? 

Os sintomas incluem o surgimento de placas esbranquiçadas e cremosas na língua, lábios, céu da boca e parte interna das bochechas, com possíveis lesões avermelhadas semelhantes a aftas, que podem também ocorrer nas gengivas ou amígdalas. 

Além disso, podem surgir: 

  • Vermelhidão, queimação ou desconforto ao engolir, podendo causar dor; 
  • Sangramento leve nas áreas afetadas; 
  • Rachaduras nos cantos da boca; 
  • Perda ou alteração do paladar; 
  • Em bebês, além da recusa em se alimentar ou mamar, é comum observar choro frequente e irritabilidade; 
  • Mulheres lactantes, quando infectadas pelo bebê, podem apresentar mamilos vermelhos, sensíveis, rachados ou com coceira, bem como experimentar dor durante a amamentação; 
  • Em casos graves, especialmente em pessoas com sistema imunológico comprometido, as lesões podem se propagar para o esôfago, complicando ainda mais a deglutição. 

Sapinho em bebês: quais as causas? 


O sapinho em bebês é causado pelo crescimento excessivo e descontrolado do fungo Candida albicans, que normalmente faz parte do organismo de todos os indivíduos, sem causar problemas.  

No entanto, quando há um desequilíbrio entre a quantidade desse fungo e as defesas naturais do bebê, ocorre a infecção por candidíase oral, popularmente conhecida como sapinho.  

Esse desequilíbrio pode ser influenciado por fatores como: 

  • Sistema imunológico ainda em desenvolvimento; 
  • Uso de antibióticos; 
  • Higiene inadequada ou a presença de outros problemas de saúde. 


Como prevenir o sapinho? 

As condições ideais para o crescimento da cândida é calor, umidade e escuro. Sendo assim, a maneira mais eficaz de evitar o sapinho é manter uma boa higiene. Entre as medidas estão: 

Manter a higiene pessoal: 

  • Manter uma boa higiene oral do bebê.  
  • Lavar as mãos cuidadosamente antes de lidar com a criança. 
  •  Evitar beijar o bebê, especialmente na região oral. 
  •  Secar bem as dobras do corpo do bebê após o banho. 
  •  Evitar áreas úmidas, pois os fungos prosperam em ambientes úmidos. 

Higiene da Mama: se estiver amamentando, também é essencial manter a higiene adequada das mamas. Certifique-se de lavar e secar bem as mamas antes e depois das mamadas, evitando a umidade e o acúmulo de resíduos de leite. 

Evitar fatores de risco: 

  • Não compartilhar objetos colocados na boca, como talheres, chupetas e mamadeiras. 
  • Esterilizar bicos de mamadeira e chupetas regularmente. 
  • Verificar os brinquedos que a criança coloca na boca. 

Cuidados com a roupa e fraldas: 

  • Manter fraldas e roupas íntimas limpas e secas. 
  • Trocar fraldas regularmente para evitar um ambiente úmido. 

​​Vale ressaltar também, que a boa alimentação materna contribui com a prevenção do sapinho, uma vez que o leite materno fortalecido com os nutrientes adequados, também favorece para a imunidade do bebê.  

Como diagnosticar o sapinho na boca do bebê? 

O diagnóstico do sapinho na boca do bebê pode ser feito por meio de uma inspeção visual. Ao observar a boca e as bochechas da criança, é possível identificar a presença de pontos brancos ou amarelados no céu da boca, nas bochechas e nos lábios, principalmente na parte interna.  

As placas de candidíase oral estão geralmente aderidas às mucosas e não se soltam facilmente, ao contrário dos restos de alimentos. 

Além da aparência das placas, outros sinais a serem observados incluem a possibilidade de dor durante a amamentação ou o uso de chupetas. Já as crianças maiores podem experimentar desconforto ao engolir e podem apresentar perda de apetite. 

Possíveis complicações 

Em bebês saudáveis, complicações são raras quando o sapinho é tratado adequadamente. 

Contudo, uma possível complicação envolve a extensão da infecção para a região perineal, área coberta pelas fraldas. Nesse caso, surgem pequenas lesões avermelhadas que podem ser confundidas com assaduras comuns, mas que requerem tratamento com antifúngicos específicos. 

É importante destacar que complicações mais severas, apesar de raras, não devem ser subestimadas, pois podem representar riscos à saúde do bebê. 

Forma de tratamento 

O tratamento para o sapinho geralmente envolve o uso tópico de antifúngicos (medicamentos utilizados para tratar infecções causadas por fungos).  

Esses medicamentos são aplicados diretamente na área afetada da boca do bebê e costumam ser eficazes para eliminar a infecção pelo fungo. 

De qualquer forma, vale ressaltar que, mesmo que as placas brancas ou lesões desapareçam no início do tratamento, é fundamental seguir o tempo completo recomendado pelo médico. Isso é essencial para garantir a erradicação completa do fungo e evitar recaídas. 

​​Agendar Consulta​​



Veja mais