Logon
Blog

Prolapso Genital: conheça os tipos e formas de tratamento

Prolapso genital é uma condição em que um órgão pélvico (como a bexiga) desce pela vagina, provocando grande desconforto.

​​Agendar Consulta​
​​​​


No universo da saúde feminina, o prolapso genital é uma condição que merece atenção. O problema ocorre quando um órgão pélvico (ou seja, que fica na pelve, no ventre) desce pela vagina, formando uma espécie de hérnia. 

A condição causa bastante desconforto, mas tem tratamento. Continue a leitura para saber mais.​


Prolapso Genital: o que é? 

O prolapso genital ou prolapso pélvico ocorre quando um órgão pélvico (como bexiga, útero ou reto) se desloca e desce pela vagina, formando uma lesão semelhante a uma hérnia.  

O prolapso genital é uma condição que pode ser diagnosticada durante um exame preventivo​ no ginecologista – mais uma evidência da importância do acompanhamento médico periódico na saúde feminina.  


Tipos de prolapso genital 


O prolapso genital pode ocorrer na parede anterior, posterior e no ápice da vagina. Confira os três tipos a seguir:  


Cistocele (prolapso de bexiga/ "bexiga caída"): 


O prolapso do tipo cistocele ocorre quando há uma fragilidade nos tecidos de sustentação da parede vaginal anterior, localizada imediatamente abaixo da bexiga, gerando um descenso (uma descida) da parede vaginal nessa região. É comum nesses casos que as pacientes apresentem sintomas de incontinência urinária, mas não é obrigatório, pois são doenças diferentes.  


Prolapso apical, enterocele ou prolapso uterino: 


Também conhecido como prolapso de cúpula vaginal, ele pode ser do útero, da cúpula da vagina (nas pacientes sem útero) e/ou enterocele (descida do intestino delgado) e ocorre no ápice da vagina. 

Retocele: 


Retocele se refere à fragilidade dos tecidos de sustentação da parede vaginal posterior, o que gera uma descida da porção final do intestino, conhecida como reto. 


Causas do prolapso genital 


Os principais fatores de risco relacionados ao prolapso genital são:  

  • Idade; 
  • Gestações anteriores; 
  • Partos vaginais; 
  • Distúrbios de colágeno com correlação genética associada; 
  • Obesidade; 
  • Envelhecimento e enfraquecimento da musculatura da pelve. 

Mas é importante lembrar que cada caso é único, e as causas do prolapso genital podem variar de pessoa para pessoa. 


Tratamentos para o prolapso genital 


Os tratamentos para prolapso genital variam e são recomendados de acordo com a gravidade do quadro. As opções incluem: 

  • Fisioterapia pélvica: exercícios específicos que fortalecem os músculos do assoalho pélvico e ajudam a aliviar os sintomas. 
  • Dispositivos pessários: são inseridos na vagina para ajudar a sustentar os órgãos prolapsados e proporcionar alívio dos sintomas. 
  • Cirurgia: em casos mais graves, a cirurgia de correção pode ser necessária para reposicionar os órgãos prolapsados e fortalecer os tecidos pélvicos enfraquecidos.







Veja mais