Logon
Blog

Prematuridade: as principais causas, prevenção e cuidados com o bebê prematuro

Entenda mais sobre o tema nesta edição do blog.

No mês de novembro, comemora-se o Dia Mundial da Prematuridade, que é lembrado no dia 17. A campanha tem o objetivo de despertar para a realidade da prematuridade no Brasil: um em cada dez bebês nascem nessa condição. Na Maternidade Brasília, durante todo o ano, essa causa é adotada com toda a atenção que merece, e os cuidados são tomados para se evitarem complicações e proporcionar o desenvolvimento saudável do bebê. Além, é claro, do foco na prevenção, isso porque um pré-natal bem realizado pode reduzir as chances de prematuridade e evitar complicações durante a gestação.

O que é prematuridade?

A prematuridade é um problema de saúde que se caracteriza pelo nascimento pré-termo, também conhecido como prematuro, que é quando o bebê nasce antes da 37ª semana de gestação, ou seja, com menos de 259 dias. Outras formas de classificar o bebê prematuro são: 

▪ prematuro extremo – menor de 27 semanas;

▪ prematuro moderado – entre 28 e 31 semanas;

▪ prematuro leve – entre 32 e 36 semanas. 

A condição da prematuridade é grave e é a principal causa de morbidade e mortalidade neonatal, por isso requer muita atenção e cuidado especializado.

Quais as principais razões da prematuridade? 

Os motivos que levam ao nascimento de bebês prematuros são diversos. Por causa de vários fatores de risco, em algumas situações é difícil identificar o motivo exato do problema, no entanto, existem muitas condições que podem contribuir para o quadro: 

▪ falta de cuidado pré-natal;

▪ diabetes;

▪ infecções urinárias;

▪ obesidade;

▪ estresse;

▪ sangramento vaginal;

▪ uso de entorpecentes;

▪ tabagismo;

▪ alcoolismo;

▪ hipertensão;

▪ gravidez gemelar.

 Como prevenir o nascimento de bebês prematuros? 

A principal forma de diminuir os riscos de ter um filho prematuro é fazer um bom acompanhamento médico durante o pré-natal. É fundamental a avaliação de um profissional de confiança para que as dúvidas sejam respondidas e as mudanças comuns da gestação sejam compreendidas. Além disso, a adoção de um estilo de vida saudável também é recomendada durante esse período. O pré-natal deve começar cedo, logo após a confirmação da gravidez, para que consultas e exames sejam feitos e o médico possa acompanhar bem de perto a gestante, bem como todo o desenvolvimento do bebê, para evitar riscos de complicações e prevenir o nascimento prematuro.

Segundo a Dra. Ana Amélia Meneses, coordenadora da UTI Neonatal da Maternidade Brasília: “Existem algumas causas de prematuridade tratáveis: infecção urinária materna, controle do diabetes e da hipertensão. Em alguns casos, apesar de um pré-natal bem-feito, não se consegue controlar a glicemia e a hipertensão, e em razão do risco que a mãe corre com essas alterações, é indicada a interrupção da gestação antes da hora, com o nascimento do bebê prematuro. O descolamento de placenta é uma emergência obstétrica, com indicação de interrupção imediata da gestação."

Complicações causadas pela prematuridade

A prematuridade normalmente causa bastante apreensão nos pais, pois se acredita que o bebê terá, necessariamente, complicações de saúde, mas, apesar de o risco ser real, nem sempre isso acontecerá. Nessa hora, são fundamentais os cuidados com o bebê prematuro em uma unidade neonatal, com equipe e infraestrutura adequadas para acompanhar o desenvolvimento do pequeno. 

Entre as complicações mais comuns que podem ocorrer com os recém-nascidos prematuros estão problemas respiratórios e cardíacos e complicações intestinais, entre outras condições. Para tratar esses desdobramentos em decorrência da prematuridade é necessária a atenção de uma equipe neonatal multidisciplinar.

Segundo a Dra. Ana Amélia Meneses, o prematuro nasce com imaturidade de todos os órgãos. Assim, as principais complicações oriundas de um nascimento pré-termo são:

▪ respiratórias;

▪ risco de infecções;

▪ hemorragia periventricular;

▪ enterocolite (infecção do intestino);

▪ retinopatia. 

 Cuidados com o bebê prematuro

O recomendado é que as indicações sejam feitas pelo médico e que as dúvidas e orientações sejam passadas por uma equipe multidisciplinar da unidade neonatal. Quanto menor o grau de prematuridade, menores também são os riscos de complicações da saúde do bebê. No período de acompanhamento do recém-nascido, serão realizados alguns exames, e os pais são muito importantes no processo de restabelecimento dele.
A Dra. Ana Amélia Meneses afirma que são muitos os cuidados com um bebê prematuro internado: “Delicadeza no toque desde o nascimento, por causa da pele, que é muito fina e corre o risco de desenvolver lesões e equimoses; a temperatura e a umidade da pele devem ser mantidas com a ajuda de uma incubadora aquecida e umidificada; é fundamental garantir um suporte ventilatório adequado, com a oxigenação dentro da normalidade; é imprescindível evitar a hipóxia e a hiperóxia; a oferta nutricional deve ser precoce – enteral se possível e parenteral quando for necessário; as infecções devem ser monitorizar, com o uso de antibióticos, quando indicado, assim como o acompanhamento fonoaudiológico, quando o bebê estiver estável e com idade gestacional superior a 32 semanas; o acolhimento dos pais durante a internação é essencial."
A médica explica ainda que a alta hospitalar ocorre quando o bebê está com ganho ponderal adequado, alimentação total por via oral e boa oxigenação em ar ambiente. Geralmente o recém-nascido vai para casa em uso de medicamentos que deverão ser continuados. 

“Importante ter uma rede de apoio em casa, já que os bebês prematuros requerem vigilância e cuidado em tempo integral. Visitas regulares ao pediatra são imprescindíveis; dependendo de cada evolução, pode ser necessário acompanhamento com especialistas, como cardiologistas, neurologistas, pneumologistas e gastroenterologistas. Iniciar imunização em centros de vacinação especiais." 

Saiba mais sobre outros assuntos relacionados com o tema: vacinas para prematuro , teste do pezinho e medicina fetal .  ​

Veja mais