Logon
Blog

Cólica na gravidez é normal? Entenda o sintoma e saiba quando procurar atendimento médico

Cólica na gestação merece atenção e requer avaliação médica

​​Agendar Consulta​

Em certa medida, as cólicas durante a gestação podem ser consideradas normais. Um dos motivos desse sintoma no início da gravidez, por exemplo, é que a placenta em formação libera hormônios que vão agir nos ovários para que o endométrio não se desprenda. Esse processo pode gerar cólicas leves e esporádicas em algum momento, como uma resposta da musculatura local. No entanto, quando são intensas e ocorrem com muita frequência, a avaliação médica é necessária para entender o motivo.

Neste blog, a Dra. Camila Lueneberg, ginecologista e obstetra da Maternidade Brasília, explica quais são os principais motivos que podem gerar cólica na gravidez e quando esse sintoma pode ser preocupante. Saiba mais!

É normal sentir cólica na gravidez?

Com frequência, no começo da gravidez, é bastante comum que a gestante passe por episódios em que sinta cólica. Isso acontece porque, nessa fase, começa um processo no qual o embrião é implantado e o corpo da mulher se modifica para se adequar ao crescimento do bebê.

​Em outro período da gestação, aproximadamente na 37ª semana, as cólicas também podem indicar o começo do trabalho de parto.

Mas esse sintoma merece atenção sempre, pois pode indicar outros quadros de saúde. Quando acontecem dores fortes, pode ser sinal de problemas, por exemplo, descolamento da placenta e gravidez ectópica, entre outros, que detalharemos no próximo tópico.​

Vale reforçar que manter contato com o obstetra e buscar atendimento hospitalar em caso de esse sintoma ser frequente é fundamental para cuidar da saúde da mãe e do bebê e evitar complicações.

Quando a cólica na gravidez é preocupante?

O primeiro sinal de alerta em relação às cólicas na gravidez é quando elas começam a ficar muito intensas e mais frequentes. Em casos assim, não espere para buscar atendimento médico. Essa dor pode ser confundida com cólica intestinal ou renal, por isso a avaliação médica é importante para um diagnóstico correto.

Outros sinais durante a gravidez também merecem atenção, veja:

  • Dor abdominal intensa e incessante;

  • Cólicas abdominais seguidas de dor no pescoço ou nos ombros;

  • Desconforto na área vaginal;

  • Sangramento vaginal;

  • Tontura;

  • Dor na parte de baixo do abdome junto com contrações.


​Leia também sobre mama dolorida.

Cólica e sangramento na gravidez: o que fazer?

O sangramento vaginal pode não estar associado à gravidez ou ao bebê. Mas, mesmo assim, é muito importante que, ao perceber esse sintoma, a gestante procure o médico.

Um número pequeno de gestantes pode ter algum sangramento, e esse sintoma pode, sim, em alguns casos, indicar um aborto espontâneo, por isso é fundamental a avaliação médica. Quanto mais rápida for a busca por esse atendimento, melhor será para a saúde da grávida e do bebê.

Como aliviar a cólica na gravidez?

Em casos de as cólicas na gravidez serem leves e acontecerem de vez em quando, é indicado que a gestante diminua as atividades ou repouse até que elas desapareçam. Já em casos de cólicas intensas, o médico poderá indicar algum medicamento.

Outras medidas podem também aliviar as dores menos intensas, como:

  • ​ Exercícios para relaxamento;

  • Mudar de posição ao sentar-se ou deitar-se;

  • Tomar um banho quente;

  • Beber bastante líquido.

Grávidas podem tomar remédio para cólica?

Conforme orienta a Dra. Camila Lueneberg, “nunca tome remédio durante a gestação sem a orientação médica. Existem medicações que são eficazes para cólicas e que podem ser prescritas”.

Leia também sobre gravidez de risco.

Maternidade Brasília

Manter um pré-natal em dia é muito importante tanto para a mãe quanto para o bebê. Por meio desse acompanhamento, o obstetra avalia o estado de ambos. E, assim, pode realizar as seguintes ações fundamentais:

  • Identificar doenças preexistentes no organismo, como diabetes, hipertensão arterial, problemas cardíacos, anemias e Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), entre outras;

  • Detectar problemas fetais como má-formação e, em alguns casos, proceder ao tratamento mesmo durante a gravidez;

  • Identificar as gestações de alto risco e tratar precocemente a pré-eclâmpsia e o diabetes gestacional.

​Tratamento especializado

A Maternidade Brasília dispõe de alta tecnologia de equipes especializadas para tratar todos os quadros que acometem a saúde do corpo da mulher, em especial durante o período da gestação. No entanto, é importante lembrar que, no caso das gestantes, o acompanhamento pré-natal regular é essencial para diagnosticar e tratar as alterações na saúde da mamãe e investigar o desenvolvimento do bebê.

Agendar Consulta​

Veja mais