Logon
Blog

Azia na gravidez: saiba como aliviar esse incômodo

Bastante comum na gravidez, a azia é um sintoma que pode surgir por questões hormonais

​​Agendar Consulta​


A azia na gravidez é aquela sensação de desconforto ou queimação estomacal, bastante comum nas gestantes. 

Geralmente, o sintoma é provocado por questões hormonais e não oferece riscos para as futuras mães e bebês.  

Saiba mais sobre as causas da azia na gravidez, quando o sintoma costuma aparecer. formas de aliviar o desconforto e sinais de gravidade.  


Azia na gravidez: causas  

A azia na gravidez é um sintoma bastante comum. Veja abaixo as principais causas da azia.  

Questões hormonais: durante a gestação ocorrem mudanças hormonais que ajudam a relaxar os músculos do útero para permitir o crescimento do bebê. No entanto, esses hormônios também afetam o músculo que impede que o ácido estomacal retorne para o esôfago. Além da azia, isso também causa refluxo na gravidez.  

Pressão do útero: conforme o órgão se expande, ele pressiona outros órgãos da mulher, como o estômago, causando o sintoma.  

Crescimento do bebê: quando o bebê cresce, é comum que ele pressione outros órgãos, como o estômago, o que aumenta a probabilidade de azia.  

Mudanças no estômago: é comum que o estômago fique mais lento, o que provoca uma quantidade maior de ácido no órgão, aumentando as chances de azia.  

​​​​​Dieta inadequada: mulheres que consomem alimentos gordurosos, picantes, cafeína e chocolate em excesso podem ter mais azia, já que aumentam a quantidade de ácido estomacal. Além disso, ficar muito tempo sem se alimentar, consumir grandes quantidades de alimentos de uma vez só e/ou antes de dormir são fatores que contribuem para o sintoma.  

Ansiedade e insegurança: questões emocionais podem piorar a azia.  

A azia na gravidez é algo comum?  

Sim. A azia durante a gravidez é um sintoma comum e muitas mulheres vão apresentar o desconforto em algum momento da gestação. 

Na maioria das vezes, a condição é considerada um sintoma normal que não necessita de tratamento ou oferece riscos para a gestante ou bebê. No entanto, a azia sempre deve ser relatada ao médico do pré-natal. 


Geralmente, a azia na gravidez começa com quantas semanas?  

Algumas mulheres podem apresentar azia logo no início da gestação, no primeiro trimestre. Já outras, sentem azia a partir do segundo trimestre de gestação.

Há também gestantes que apenas sentirão a azia no terceiro trimestre ou durante toda a gestação.  


 

Quais os riscos de não tratar a azia durante a gravidez?  

De forma geral, a azia durante a gestação é um sintoma comum e não causa riscos para saúde da gestante ou bebê.  

Algumas mulheres, no entanto, podem ter um desconforto maior, o que afeta a sua qualidade de vida.  

Além disso, a azia pode vir acompanhada de refluxo, enjoos, irritabilidade, restrições alimentares e má nutrição.  

Quaisquer medidas ou medicações utilizadas para alívio dos sintomas devem ser realizadas sob orientação do médico do pré-natal.  


Grávidas podem fazer endoscopia?  

A recomendação é que a endoscopia seja adiada no início da gestação, pelo menos até o segundo trimestre.  

O exame deve ser realizado apenas com indicação de um especialista quando a gestante apresentar dores abdominais intensas, vômitos constantes e sangramento gastrointestinal.  


 

É possível prevenir a azia na gravidez?  

De forma geral, a azia na gravidez não pode ser prevenida, mas amenizada com​ algumas medidas no dia a dia e medicação, caso o obstetra recomende.  


​Como aliviar a azia na gravidez?  

Geralmente, a azia na gravidez pode ser amenizada com a manutenção dos hábitos saudáveis e dieta adequada.  ​
Entre as recomendações para aliviar o desconforto, estão:  

  • ​Fazer refeições equilibradas e leves;  

  • Comer pequenas porções ao longo do dia;  

  • Evitar alimentos picantes e gordurosos;  

  • Limitar o consumo da cafeína e chocolates; 

  • Evitar se alimentar muito perto da hora de dormir;  

  • Usar roupas confortáveis que não pressionem a região do estômago;  

  • Mastigar os alimentos lentamente;  

  • Usar medicação apenas com indicação do obstetra.



​​​

Veja mais